segunda-feira, 26 de junho de 2017

Dez vezes melhor

E, ao fim dos dias em que o rei tinha dito que os trouxessem [três anos depois]... E o rei falou com eles; e entre todos eles não foram achados outros tais como Daniel, Hananias, Misael e Azarias; por isso, permaneceram diante do rei. E em toda matéria de sabedoria e de inteligência, sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos ou astrólogos que havia em todo o seu reino. DANIEL 1.18-20

Todos os dias, eu dizia: "Deus, faze-me achar graça diante de cada professor. Obrigado por isso. Creio que já atendeste a minha oração. Agora, transmita a mim - porque tenho a vida e a natureza de Deus habitando em mim - o conhecimento e a inteligência em toda cultura e sabedoria, para que eu seja dez vezes mais".
Não estou gloriando-me em minha própria capacidade, mas naquilo que Deus me deu. Embora eu tenha sido, antes da minha enfermidade, um aluno com média D, tornei-me, depois de nascido de novo e curado, o único aluno da minha classe a tirar A em todas as disciplinas.
Eu podia pegar um livro de História, estudar um capítulo que eu não conhecesse e, então, fechar o livro e recitá-lo palavra por palavra. Ora, não foi porque desenvolvi a minha memória que consegui assim proceder. Eu não sabia absolutamente nada a respeito da memorização. Consegui fazê-lo, porque apelava para meu espírito.
A maioria dos cristãos jamais aprimorou seu espírito. E por­que nunca realmente andaram na luz daquilo que possuíam o tempo todo: a vida eterna.


Confissão: "Proponho-me a aprimorar o meu espírito. Proponho-me a andar na luz da vida".