quinta-feira, 25 de maio de 2017

Ele tomou sobre Si... e levou



Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças. MATEUS 8.17

Em nosso texto de hoje, Mateus está citando Isaías 53.
Quando compreendi o que esse versículo realmente signi­fica, regozijei-me nele. Isso porque, quando o li, soube enfatizar a palavra nossas. Jesus tomou as nossas enfermidades e carregou-as. Eu estou incluído na palavra nossas! Ele tomou as minhas enfermidades e carregou-as!
Ao dar-me conta dessa verdade, senti-me como uma certa mulher idosa se sentiu. Repentinamente, ela desapareceu em Londres durante a Segunda Guerra Mundial. Suas vizinhas não a viram nos abrigos contra bombas durante uma incursão da aviação inimiga, de modo que tomaram por certo que ela tinha sido morta ou fugira da cidade. Quando algumas delas a viram na rua, alguns dias depois, perguntaram-lhe onde estivera. Ela respondeu que não tinha ido a lugar algum.
"O que você fez durante os bombardeios?"
"Simplesmente, permaneci na cama e dormi".
"Você não ficou com medo?"
"Não. Depois de ter lido na Bíblia que Deus não dormia nem dorme, resolvi que não haveria necessidade de nós dois permanecermos acordados!"
Posto que o próprio Cristo tomou as nossas enfermidades e carregou-as, não há necessidade de nós as carregarmos. Jesus as carregou para que ficássemos livres delas!


Confissão: "Porque Cristo tomou as minhas enfermidades e carregou-as, eu não preciso suportá-las. Aceito aquilo que Jesus providenciou!"

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Verdadeiramente tomou as nossas enfermidades



Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nos­sas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados. ISAÍAS 53.3-5

Quero declarar, com toda a ousadia, que não é da vontade de Deus, meu Pai, que soframos com câncer e outras enfermidades terríveis que provocam dor e angústia. A vontade de Deus é que sejamos curados!
Como sei disso? Porque a cura é providenciada para nós, segundo a Nova Aliança.
O capítulo 53 de Isaías nos fornece um quadro vivido do Messias vindouro. Esse capítulo trata do problema da enfermi­dade que confronta a Igreja hoje, além do problema do pecado.
Deus, além de lidar com o espírito e a alma do homem, lidou com o seu corpo. Deus colocou sobre Jesus as nossas iniquidades e os nossos pecados, e Jesus os levou sobre Si. Deus colocou sobre Jesus as nossas enfermidades, e Jesus as levou sobre Si. Para quê? Para que fôssemos livres!

Confissão: "Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus,levou sobre Si os meus pecados e as minhas iniqüidades. Logo, eu não preciso levá-los sobre mim, Ele ainda levou sobre Si minhas doenças e dores. Logo, não estou obrigado a carregá-las. Por causa de Jesus, estou livre. Pelas Suas pisaduras, fui sarado!"

terça-feira, 23 de maio de 2017

Perdão e cura



É ele que perdoa todas as tuas iniqüidades e sara todas as tuas enfer­midades. SALMO 103.3



A enfermidade sobreveio aos filhos de Israel quando desobedeceram à Lei. O perdão da sua desobediência impor­tava para a cura das suas enfermidades.


Quando os filhos de Israel saíram da proteção da Aliança, ao cometerem iniqüidades, surgiram as aflições (Sl 107.11,17,18). No entanto, quando clamaram ao Senhor, ele os livrou das suas necessidades. Enviou a sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição (Si 107.19a,20).


Temos proteção com a nossa Aliança, mas é possível sair dela.


Desde que conheci a verdade sobre saúde e cura divinas na Palavra de Deus, a única ocasião em que alguma enfermi­dade tocou em mim foi quando saí da proteção do Senhor. Ora, não quero dizer que furtei alguma coisa ou contei uma mentira; simplesmente, não estava obedecendo a Deus como deveria estar (não estava ministrando da maneira que Deus me ordenava). Por isso, eu afastei-me da proteção da Aliança e fiquei vulnerável aos ataques do inimigo. Era, portanto, necessário arrepender-me e voltar a "andar na linha". No momento em que o fiz, recebi a cura física.




Confissão: "Deus perdoa as iniqüidades. Deus cura as doenças. Ele enviou a Sua Palavra e me sarou. Ele me livrou daquilo que era mortal".