sábado, 24 de junho de 2017

Propósito do coração

E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar. DANIEL 1.8

Eu tinha dois textos bíblicos prediletos que lia ou citava diante do Senhor e nos quais baseava a minha confissão, todas as manhãs, quando ia a pé para o colégio. O primeiro deles era João 1.4. O segundo era o primeiro capítulo de Daniel.
Leia o capítulo um de Daniel e veja como ele e os três jovens hebreus, embora cativos, foram escolhidos a fim de que fossem ensinados nas letras e na língua dos caldeus (Dn 1.4c).
A Bíblia diz que Daniel assentou no seu coração [firmou um propósito diante de Deus]. Eu empregava essa expressão diante do Senhor. Eu sabia que, apesar de não viver segundo o Antigo Testamento, isto é, debaixo da Lei mosaica, havia aqui um princípio que eu podia seguir.
Os judeus não deviam comer determinados alimentos, mas essa proibição não se aplica a nós, posto que não vivemos na época da lei, mas da graça. A Palavra de Deus diz: Porque toda criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças, porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada (1 Tm 4.4,5).
Passei a seguir, portanto, o mesmo princípio observado por Daniel. Todas as manhãs, eu falava assim com o Senhor: "Assento no meu coração andar na luz da vida".


Confissão: "Assento no meu coração andar na luz da vida. Andarei na luz, com base na vida de Deus em mim".