quarta-feira, 26 de abril de 2017

Amigo, segundo a Aliança


   E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio? Se, porventura, houver cinqüenta justos na cidade, destruí-los-ás também e não pouparás o lugar por causa dos cinqüenta justos que estão dentro dela? Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti seja. Não faria justiça o Juiz de toda a terra? GÊNESIS 18.23-25
    Deus Se recusou a destruir Sodoma e Gomorra antes de conversar a respeito com Abraão, Seu amigo, segundo a Aliança de sangue!
    A oração de Abraão, no capítulo 18 de Gênesis, é uma das mais sugestivas e iluminadoras de todo o Antigo Testamento.
    Abraão, mediante a Aliança, tinha recebido direitos e pri­vilégios que pouco compreendemos. A Aliança que Abraão acabara de celebrar com o Senhor Jeová o colocou em uma situação legalmente aceitável diante de Deus. É por isso que ouvimos Abraão falar com franqueza ao interceder por Sodoma e Gomorra: Não faria justiça o Juiz de toda, a terra?
Confissão: "Tenho uma aliança com Deus, a Nova Aliança. Tenho direitos e privilégios segundo a aliança. Estou em uma boa situação diante de Deus. Exerço comunhão com Deus. Uso, na oração, os meus direitos e privilégios. Reúno minhas forças com meu Pai na realização da Sua vontade e do Seu plano na Terra".