terça-feira, 4 de abril de 2017

As obras que eu faço



E aconteceu que, num daqueles dias, entrou [Jesus] num barco com seus discípulos e disse-lhes: Passemos para a outra banda do lago. E partiram. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e o barco enchia-se de água, estando eles em perigo. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? [...] LUCAS 8.22-25

John Alexander Dowie nasceu em Edimburgo, na Escócia, e mudou-se para a Austrália quando ainda era jovem. Por volta de 1875, quando Dowie pastoreava uma igreja congregacional em Newton, na Austrália, uma peste terrível varreu aquela parte do país. Foi durante aquela peste que Dowie recebeu, pela primeira vez, luz sobre a cura divina e a auto­ridade que os cristãos possuem.
Li que Dowie disse, em certa ocasião: "Atravessei o oceano 14 vezes de navio. Durante aquelas 14 travessias, surgiram muitas tempestades. Mas todas as vezes que isso acontecia, eu sempre fazia como fez Jesus: repreendia a tempestade. E cessou cada uma delas".
Dowie sabia que Jesus havia dito: Aquele que crê em mim, fará também as obras que eu faço. Dowie sabia que estava ligado a Deus. Você e eu estamos ligados a Deus tanto quanto Dowie ou qualquer outra pessoa já esteve.

Confissão: "Creio em Jesus. As obras que Jesus Cristo fazia na Terra eu também posso realizar,pois assim Jesus falou; logo, eu posso".