terça-feira, 28 de novembro de 2017

ORANDO EM ESPÍRITO

Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios. Porque, se eu orar em língua estranha, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto. Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. Doutra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto o Amém sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes? Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado. 1 CORÍNTIOS 14.2,14-17

O Eterno nos deu um meio divino e sobrenatural de comu­nicação com Ele. Deus é Espírito (Jo 4.24). Quando falamos em línguas, nosso espírito está em contato direto com Deus. Estamos falando com Ele por meios divinos e sobrenaturais. Desse modo, podemos bendizer em espírito e dar graças.
Quando Paulo se referiu aos indoutos, tinha em mente as pessoas que não têm conhecimento acerca das coisas espiri­tuais. Se você me convidasse para um jantar e me dissesse: "Por favor, dê graças", e eu orasse em línguas, você não me compreenderia. Você não seria edificado. Por isso, Paulo disse que, em uma ocasião, seria melhor orar com palavras compre­ensíveis a todos (1 Co 14.19).
Note, porém, que a Palavra de Deus declara que orar em línguas é um modo perfeito de dar graças!

Confissão: "Bendirei a Deus com o Espírito. Darei graças de todo coração".